Para onde vai o seu lixo?

16 de maio de 2013 10 comentários

Hoje é dia do Gari. Uma pessoa que deveria ter todo nosso respeito e consideração. E vendo tanto lixo pelas ruas, penso que essa consideração vai por ralo abaixo.

Começo contando uma historinha simples e curta de quando era criança.

Descascando uma bala, logo joguei o papel no chão. Em uma calçada mais precisamente. Meu querido pai que estava ao meu lado me chamou atenção na hora:

- Minha filha, que feio, não jogue papel no chão. 

Bastaram essas poucas palavras para que eu nunca mais fizesse isso. 

Me lembro também de uma ajudante que tive em minha casa, contando a mesma coisa. Não quando criança, mas já adulta. E dessa vez quem chamou atenção não foi seu pai, mas um cidadão que passava ao lado dela na calçada. Com muita vergonha, também aprendeu a lição.

Seria muito bom se todos nós tivéssemos quando criança (principalmente) ou adulto, alguém para chamar nossa atenção cada vez que jogássemos algo no chão, seja por preguiça, comodismo ou falta de educação mesmo. Melhor ainda seria se todos, como eu e minha ajudante, aprendêssemos a lição. Antes tarde do que nunca.

 imagem daqui:

Mas infelizmente não é assim. Todo dia vejo imundices na rua, calçadas e jardins. Copos, papéis, latas e aí vai. Se tem festa na cidade então, é porcaria para todo lado.

É uma tristeza e revoltante ver estudantes universitários, que deveriam dar exemplo, se comportando dessa maneira. Parecem porcos desrespeitosos que não estão nem aí pra quem vai limpar sua sujeira. Bom, a sujeira nem deveria ser feita.

Me pergunto indignada toda hora que vejo isso: Pra onde foi a educação desses jovens. Será que um dia tiveram realmente?                   

Agradeço ao meu pai. Um homem simples, que foi criado até os 18 anos na roça. Mas que conseguiu passar o conceito do respeito ao próximo, naquele instante em que me educou com a palavra certa no momento certo.

Hoje se não tenho uma lixeira a poucos metros de mim, procuro em algum estabelecimento ou guardo o papel na bolsa.

E assim acostumei minha filha. E assim ela já faz. E  quando vê um lixo no chão logo fala:

- Mamãe, olha que falta de educação jogar lixo na rua.
- Sim minha filha, uma tremenda falta de respeito.

Certíssimo. É com esse pensamento que ela vai seguir daqui pra frente, porque é ele o correto.

É por isso que hoje insisto com ela sobre questões de educação e respeito ao ser humano. 

Comemoramos hoje o dia do Gari. Esses incansáveis trabalhadores que passam horas debaixo do sol ou chuva com uma roupa super pesada. Assim como são pesados seus instrumentos de trabalho. Mais pesado ainda o fardo que carregam por terem que limpar o lixo de quem não os respeita e que com certeza devem pensar que eles estão ali na obrigação de varrer o toco do cigarro, o copo ou o papel deles.

Não. A obrigação do lixo no lixo é nossa, não deles. A responsabilidade de deixar a cidade limpa é nossa, não deles.
As folhas que caem das árvores, a poeira que vem de longe não é lixo. E isso eles sabem ajeitar muito bem..

Mas as garrafas, latas e outras sujeiras, são de nossa responsabilidade.
Se jogamos algo no chão, alguém terá que colocar no lugar. Então não joguemos. Não deixemos essa responsabilidade, essa obrigação, esse abuso para eles.

Tratemos os garis, a ajudante da nossa casa, nossa escola, nossos pais, e a nós mesmos, com respeito e educação. Essa que vem como exemplo a todo instante. Exemplo que nossos filhos carregarão sempre, longe, ou perto da gente.




10 comentários:

  • Liene Oliveira disse...

    Teresinha ótimo texto. Tenho a opinião que não conseguiria passar muito tempo se os gari resolvessem fazer uma greve. Moro em casa então, quando o caminhão do lixo passa os ajudantes tocam a campanhia, pois sabem que meu marido sempre oferece um lanche para eles. E não lembramos deles somente no finais do ano. Que seria se todos percebessem que profissionais importantes para nos são eles, afinal higiene nas ruas é essencial para o nosso bem estar.
    Parabéns para os garis.

    www.cantinhodali.com

  • Mi Gobbato disse...

    Aqui em casa tbm desde pequeno ensino o Gui o respeito ao próximo, educação, e fico orgulhosa quando vejo que consegui ensinar e o melhor ele aprendeu. Quando não temos lixeira por perto eu falo para ele que vou guardar na bolsa e quando chegarmos ao lugar que tem jogamos no lixo, e ele já aprendeu quando tem algum papel, ou alguma coisa pra jogar e não vê lixo ele já me dá e fala "Mãe coloca na bolsa e depois joga no lixo" e as vezes até canta a músiquinha que aprendeu na escola "Papel e casca não se joga no chão é falta de educação", e quando ele vê algum papel, garrafa ele fala tbm "Não pode né mãe jogar no chão é feio".

    Adorei o seu texto .. espero que assim mães como vc, eu e muitas que fazem isso outras tbm adotem esse ato!!!
    Pq é fácil reclamar que está sujo, mas limpar né !!!

    beijos Mi Gobbato
    http://espacodasmamaes.blogspot.com.br/

  • Genis Borges disse...

    Oi Te, eu não sabia que ontem foi o dia do gari. Que profissão importante e como todas as outras precisa mesmo ser respeitada.
    Eu também aprendi desde pequena que era "feio" jogar papeis e lixos em geral no chão, mas não me lembro quem foi quem ensinou e em qual momento.
    JM já tem esse hábito e coloca o lixinho no bolsinho ou dá pra mamãe.
    Lindo post amiga.
    Devemos honrar quem realmente merece honra!
    Bjus, Genis

  • Carol Meoli disse...

    POis é, vi ontem falar na tv, que era dia do gari. Uma profissão super digna do nosso respeito e agradecimento.

    Temos que explicar para os filhotes desde pequenos, que não se pode jogar nada no chão. Minha mãe sempre ensinou, que até hoje quando não tenho onde jogar algum papelzinho de bala, coloco na bolsa e jogo em casa, ou quando vejo um pelo caminho.
    A Babi já aprendeu, mas claro, as vezes "esquece".

    Beijos

  • Mamães em Rede disse...

    Verdade Liene. Dependemos deles e muitos abusam dessa necessidade.
    Que bom que vocês tem a consciência de que eles são importantes pra nós. Na casa dos meus pais eles também tem esse acolhimento. Chamam pra tomar café o "zé da banana", o "moço do gás", "o catador de reciclados" que virou amigo..

    Bom se todos valorizássemos mais esses profissionais. Pessoas como nós.

    Obrigada por seu rico comentário. É um prazer tê-la aqui. Beijos

Postar um comentário

Quando você comenta, também participa do Mamães em Rede! Comente, participe, pergunte. Obrigada!

 

©Copyright 2012 - Todos os Direitos Reservados - Mamães em Rede | Design By Arte Design